zeldagames.info
BAIXAR MOBI
 

APOSTILA DE HIPNOSE BAIXAR

zeldagames.info  /   APOSTILA DE HIPNOSE BAIXAR
postado por Elke

APOSTILA DE HIPNOSE BAIXAR

| Música

    Contents
  1. Tecnicas de Hipnose Clinica e Pratica Apostila Do Curso
  2. TÉCNICAS DE MENTALISMO E PNL
  3. Apostila – Curso de Hipnose
  4. Apostila hipnose na ordem

Antes de baixar os livros e apostilas, conheça o Curso de Hipnose Online Para Atendimentos do Hipnólogo Fernando Ventura. Nesse curso você irá aprender. Apostila Curso de Hipnose, com material sobre. DOWNLOAD. Descrição; Comentários. É de extrema importância que o discípulo preste. Encontre Apostila Curso De Hipnose Download no Mercado Livre Brasil. Descubra a melhor forma de baixar online.

Nome: apostila de hipnose
Formato:ZIP-Arquivar
Sistemas operacionais: Android. Windows XP/7/10. iOS. MacOS.
Licença:Grátis (* Para uso pessoal)
Tamanho do arquivo:34.74 Megabytes


Hipnotizando uma pessoa adormecida. Aqui est a chave do estudo dos estados alterados da conscincia. Enquanto eu conto até dez e até mesmo antes de chegar a dez Muito pesadas. O que importa registr-las;V prestando ateno no que sentir Nome, idade, veja como ele est vestido. Logo apareceram outras teorias. Parar de Fumar. Estasgravações nunca chegam a ser conscientes com facilidade. Osmédicos ensinam este método para tratar a insônia, e a infertilidade quandoé causada pelo estresse. Para eles, ignorar opoder de rezar é como tirar importância a uma medicina nova ou de um Você ainda por um momento Passo n 5 Pegue uma folha de papel. Você vê que a sua volta Porque sua parte sbia que ajuda voc a descobrir algum conforto, paz e relaxamento

Apostila Curso de Hipnose, com material sobre. DOWNLOAD. Descrição; Comentários. É de extrema importância que o discípulo preste. Encontre Apostila Curso De Hipnose Download no Mercado Livre Brasil. Descubra a melhor forma de baixar online. Tecnicas de Hipnose Clinica e Pratica Apostila Do Curso DOWNLOAD PDF - KB TÉCNICAS DE HIPNOSE CLÍNICA E PRÁTICA. dente está sendo extraído sem anestesia e sem dor - pela hipnose. Em algum lugar da terra, uma mulher está dando a luz uma criança sem a menor dor - pela . Hipnose é o engajamento das crenças e da imaginação para a criação de uma Certamente, meu primeiro contato com hipnose foi pela televisão, assistindo.

Hipnotizar é convencer e convencer é sugestionar. Só sugestiona quem convence e só quem convence hipnotiza. Hipnose é vista como um fenômeno relacional. Durante o transe a pessoa tem uma grande atividade interna, sem perder o estado de alerta, isto é, estando acordada. Sendo toda hipnose uma forma de auto-hipnose, é o próprio paciente que permite que a mesma aconteça, detendo ele o controle durante todo o tempo que passa em transe.

Para agir num ponto do organismo, o medicamento dissolve-se em todo ele, perturba e envenena mais ou menos todas as células. Voltaire definiu a medicina como a arte de introduzir drogas pouco conhecidas em um organismo mais desconhecido ainda. Em outras palavras, Hipnoterapia é o cuidado ou cura através da Hipnose. Esta nomenclatura deveu-se à demanda do Departamento de Hipnologia, numa analogia com algumas especialidades médicas Pediatria, Psiquiatria, Foniatria, Fisiatria, etc.

Este termo, criado em pelos professores Miguel Calille Junior e Antônio Carlos de Moraes Passos, foi adotado pelo Conselho Federal de Medicina, no ano , como adequado a ser utilizado quando um médico fizer abordagem através do uso da Hipnose para diagnóstico ou tratamento iatria, do grego, "arte de curar" , sendo unanimemente considerado por todas as escolas médicas de hipnose no Brasil.

Diversas teorias surgiram para tentar explicar esse estranho estado. Estes estudos abrem novas perspectivas e outras questões surgem como resultado. Depois de hipnotizados, eles foram levados a acreditar que a mesma figura colorida, vista outra vez no monitor, era toda em tons de cinza.

Ou seja, sem nenhuma possibilidade de farsa, o cérebro passou a ver em preto e branco. O alvo interessa de alguma forma pra nós? O córtex pré-frontal modula a energia límbica e tem a possibilidade de criar comportamentos adaptativos adequados ao tomar consciência das emoções. É o que nos faz indivíduos ímpares. A parte mais sofisticada do cérebro. Hoje, comprovada pela ciência, ajuda a Medicina a curar muitas doenças. Enfim, procura seguir o professor ou o seu par.

Essa fase pode ser comparada às sugestões que o hipnoterapeuta formula ao paciente durante o tratamento pela hipnose. O paciente reprogramou seu modo de alimentar-se para tornar-se e permanecer esbelto; 2.

Bernheim, Legeois, Dumont etc. E pode-se obter o mesmo efeito em sugestões póshipnóticas, dadas durante a hipnose e executadas depois, em estado de vigília, executadas horas, dias, meses ou anos depois.

Tecnicas de Hipnose Clinica e Pratica Apostila Do Curso

Podemos dizer pois, que é um grande armazém de experiências e vivências compiladas ao longo de nossas vidas. Tudo quanto sabemos e conhecemos da vida, fica registrado e arquivado em nosso subconsciente até o fim de nossa vida, pois nada se apaga nele. O material recebido vai se acumulando e nada é esquecido. Assim, a pessoa pode permanecer em estado de coma profundo ou completamente anestesiado, ou ficarem imobilizadas em certas partes do corpo, apesar das quais, o organismo continua cumprindo as funções vitais, tais como respirar, etc.

É muito importante lembrar que o subconsciente induz. Zona C: Consciente - Mente Objetiva Localiza-se na zona frontal e faz parte do córtex e sub-córtex cerebral. O consciente é a mente objetiva, governa o sistema nervoso e tem sua base no cérebro.

É a parte da mente que analisa, sintetiza, deduz, raciocina, etc. Estas gravações nunca chegam a ser conscientes com facilidade. A célula principal se chama neurônio. Isso se consegue modificando a intensidade das ondas cerebrais.

Muitos medicamentos podem alterar o sistema neurotransmissor. Existem elementos eletrónicos como jogos de luzes e sons que chegam a mudar as ondas cerebrais. Ao mudar a intensidade se conseguem diferentes estados de consciência. Sabe-se, por exemplo, que é possível sugestionar uma pessoa para que experimente as sensações subjetivas próprias do consumo de cannabis ou LSD, ainda que na realidade esteja tomando um simples placebo.

O que acontece na realidade nos casos de estados alterados de consciência? Também os estímulos externos têm resultados similares. O xamanismo, o transe religioso, as experiências próximas à morte, as possessões e as visões místicas poderiam ser perfeitamente explicadas por estes mecanismos físicos e psíquicos.

Isto se vê no tipo de auto-hipnose provocado nas religiões orientais, como o Yoga. Este fenômeno se vê nas religiões pentecostais e nos rituais afro. Isto é demonstrado durante as festas de carnaval, onde se pula, se dança, num estado que vai além das forças físicas, causando muitas vezes até a morte.

Os antigos barcos de remos, possuíam um tambor que marcava o ritmo, conseguindo que os remadores fizessem seu trabalho sem sentir tanto o cansaço, conseguindo também um estado de consciência alterada.

A primeira: tem efeito sedativo, acalma. A segunda: excita, levando às vezes a um estado de estupor. O efeito final é o mesmo, conseguindo chegar até a hipnose por dois caminhos bem diferentes: o do amor e o do temor. Nestes dois casos se atinge a faixa das ondas alfa.

Ao sentir-se cansado este pastor, outro o substitui, e o bombardeio continua. Isto explica a hipnose de massas, por contagio psíquico. Observa-se geralmentee uma mudança na temperatura periférica.

As diferenças de reações nesse particular obedecem a fatores muito sutis, que, dada a sua complexidade, podem escapar, inclusive, ao controle dos maiores peritos em matéria de psicologia. Produz catalepsia dos membros e do corpo, alucinações motoras e cinestésicas. Aqui se consegue efeitos analgésicos e até anestésicos.

É o estagio próprio às anestesias profundas. Pode sugerir-se o sonambulismo para esse efeito. Dentro desse esquema tem de se levar em conta as variantes das reações individuais. Cada comando a ser fixados deve ser repetido pelo menos três vezes. A monotonia hipnótica se produz por vias sensoriais e por vias subjetivas, devendo haver uma sintonia perfeita entre a monotonia do paciente, do hipnotizador e do ambiente.

O objetivo principal dos testes de sugestibilidade é determinar o grau de hipnotizabilidade do paciente. Sugestões deveriam estar em uma forma positiva ou negativa? Segundo: um segundo propósito do teste é servir como uma experiência de condicionamento para entrar em hipnose. Terceiro: um outro propósito do teste de sugestibilidade pode ser na sua habilidade para usar o pré-trabalho. As instruções dadas ao paciente sobre a maneira exata de executar o teste devem cercar-se de certo ritual e solenidade e acompanhadas de exemplo demonstrativo.

Assim: entrelaçando firmemente os dedos. Conto pausadamente até cinco. Este teste oferece, como o anterior, ensejo para algum ritual e solenidade. Os braços caídos ao longo do corpo.

E relaxamento muscular.

BAIXAR HIPNOSE APOSTILA DE

Fique de corpo mole. Olhe para mim um instante. Pode fechar os olhos. O balanço continua Você continua a balançar, etc. Pode-se dizer também: vou contar até cinco O grau e o modo balanço indicam com relativa margem de segurança a sugestibilidade.

O paciente que reage satisfatoriamente a esta prova pode ser considerado hipnotizado. Sugere-se ao paciente o movimento do pendulo, acompanhando uma linha traçada sobre a mesa. Quanto maior o grau de balanço do pendulo, maior o grau de sugestibilidade. O paciente fecha os olhos, e o terapeuta, a uma distancia de dois ou três metros, abre um dos frascos, anunciando ao paciente a essência que o mesmo contém.

O terapeuta passa a anunciar a abertura do segundo frasco contendo outra essência por ele especificada. Novamente o paciente tem de confirmar o cheiro. Comenta-se: Quase imperceptível! E os sente, sem nenhuma necessidade específica de demora. Respondem quase que instantaneamente. Às vezes pode-se esboçar um gesto.

Pouco importa o tipo de gesto que se esboça. Entre outros, dois dedos em V. Pedimos ao paciente que fixe os olhos nos dedos.

Vai dormir. O paciente fecha imediatamente os olhos e dorme. Pelo menos se sente influenciado pela hipnose. Seus braços cada vez mais pesados. Quanto mais se esforça para baixar o braço, mais o seu braço vai levantando.

Este método pode ser considerado Standard. O paciente começa por sentir-se cansado. Esperar dez segundos. Muito pesadas. Muito pesado. Suas pernas pesadas. Todo o seu corpo pesado. Muito cansadas Muito cansadas. Fechando; Repete-se isso quatro ou cinco vezes. Enquanto eu falo você vai entrando num sono profundo. Você ouve a minha voz como se estivesse vindo de longe Muito longe.

Você começa a sentir um formigamento, uma dormência. Inicialmente na nuca e depois envolvendo levemente o corpo todo, da nuca para baixo. É como se estivesse flutuando nas nuvens. Nada o incomoda. Nada o aborrece. Só ouve a minha voz. Só obedece a mim. Durma profundamente. Método particularmente subjetivo e de grande efeito simbólico, que foge um tanto da linha ortodoxa dos métodos anteriormente citados. Muito dificilmente falha. Fixe bem esta estrela A estrela vem se aproximando lentamente Lentamente a estrela se aproxima de você.

E à medida que a estrela se aproxima seu brilho aumenta A estrela se aproxima cada vez mais. A estrela vem chegando cada vez mais perto Continua-se: A estrela continua a se aproximar Ela vem chegando cada vez mais perto A estrela se aproxima cada vez mais Agora a estrela se afasta para o céu distante Vamos agora acompanhar a estrela em sua fuga pelo espaço Até a estrela sumir de vista Até a estrela desaparecer completamente no céu.

Tudo isso com pausas e tom de voz monótono. Isto fica por conta do paciente; Agora, respire profundamente.

TÉCNICAS DE MENTALISMO E PNL

Respire profundamente Lenta, mas irresistivelmente os braços se levantam, lenta, mas irresistivelmente Seus braços continuam a levitar Uma força estranha puxa os seus braços para cima. Enquanto minha voz fica mais e mais presente para você, que pode procurar ir desfrutando de tudo que você pode ir aprendendo Saudavelmente e, enquanto sua mente consciente se volta para dentro de você mesmo Sua mente inconsciente pode ir encontrando formas novas de relacionamento, porque é muito prazeroso saber-se capaz de estar com as pessoas Enquanto você entra Para dentro de si mesmo Onde possa soltar-se calmamente E você continua ouvindo minha voz, que se faz sua companheira.

Apenas você se volta mais para dentro de você mesmo Sua vista vai ficando cansada Fechar os olhos Braço pesado Muito pesado Olhando fixamente Vai ver seu dedo duplo Olhos cansados Olhar fixamente, sem piscar Sem piscar Olhar fixo O ponto fixado parece que se mexe Parece que embaça Mais pesadas E é impossível abri-las Colocar os polegares sobre as mesmas e mantê-las assim por um tempo; 7.

Reflexo palpebral; 7. Face desabada, com musculatura solta; 7. Amnsia:Esquecer-se de pensamentos ou de fatos passados durante o transe espontaneamente ou no ou em uma ocasio especfica, o que pode dar-se espontaneamente ou de acordo com orientaes sugestivas do hipnotizador. Hipermnsia: a capacidade de lembrar-se de forma ntida e com riqueza de detalhes de pensamentos, sentimentos ou eventos ocorridos e completamente esquecidos. Regresso de idade memria : O fenmeno de regresso de idade parcialmente baseado nos mecanismos de hipermnsia e amnsia.

Xenoglassia: Capacidade em relembrar e fazer uso lgico de uma lngua estrangeira que se ouviu na infncia, e da qual no se tem domnio conscientemente. Estigmatizao e Hematidrose - Em Focachon, farmacutico de Charmes produzia na presena dos drs.

Bernheim, Legeois, Dumont etc. Catalepsia: Enrijecimento dos msculos sem a fadiga durante o estado hipntico, paralelamente suspenso das sensaes. A catalepsia seria, portanto, a permanncia de pelo menos alguma parte do corpo em determinada posio por algum tempo sem as dores causadas pela constncia. Movimentos "Alavancados": So movimentos pausados, e na maioria das vezes lentos, como se o indivduo estivesse levando pequenos choques.

Muitas vezes ocorre durante o teste sugestivo da "levitao da mo". Hiperpraxe: Aumento da capacidade muscular. Tomemos como exemplo a fora da mandbula: todo mundo tem aproximadamente libras de presso nos msculos da mandbula, mas poucas pessoas j usaram-na.

No obstante, isto permite que os acrobatas pendurem-se pelos dentes de um trapzio e executem os feitos mais surpreendentes enquanto esto assim apoiando o peso do corpo pelos dentes Na dissociao uma palavra, smbolo ou lembrana deixa de estar associada a certas idias, lembranas etc.

Alucinaes: O detalhe mais impressionante da hipnose o fato do paciente vivenciar alucinaes sugestionadas; podemos alterar as percepes, induzindo iluses e alucinaes positivas ver, sentir ou ouvir o que no existe ou alucinaes negativas deixar de ver, sentir ou ouvir o que existe mesmo que a pessoa mantenha seus olhos abertos durante o transe hipntico.

E pode-se obter o mesmo efeito em sugestes pshipnticas, dadas durante a hipnose e executadas depois, em estado de viglia, executadas horas, dias, meses ou anos depois. Analgesia: a sensao de dormncia diminuio da percepo ttil em alguma parte do corpo estes fenmenos so utilizados na teraputica da dor.

Hiperestesia: A hiperestesia o aumento da percepo das sensaes, com a ampliao do limiar perceptivo a nveis mais sensveis de estimulao. Trata-se meramente do exagero de uma relao normalmente presente em partes simtricas do corpo. O indivduo pensa o futuro, sabendo que apenas uma projeo, e atravs dos cinco sentidos pode pensar e dar formas a situaes que ir passar. Progresso de idade: O indivduo pensa estar num futuro.

Pode-se passar por uma situao antes dela acontecer para saber quais sero as reaes quando isso se tornar realidade isto no est ligado previso do futuro. Signo-sinal: So comandos associados aos estados hipnticos, como uma palavra ou frase dita ao paciente durante o transe e que funcionam como uma "chave" para indues futuras. So usados normalmente para facilitar cada uma das prximas sesses para que o trabalho seja iniciado e conduzido de uma forma mais rpida. Duplicao de sistemas de raciocnio: Duplicao a atividade psquica onde duas linhas de raciocnio acontecem simultaneamente e de forma independente uma da outra o que permite obter-se a Escrita Automtica, popularmente conhecida como "psicografia", a Escrita Ambidestra, em que o indivduo hipnotizado levado a escrever ou digitar um texto diferente lgico e coerente com cada mo, s vezes em lnguas diferentes.

Sugesto ps-hipntica: o estabelecimento de comportamentos, atitudes, relaes e formas de pensar que tero efeito depois do processo formal de transe hipntico, sendo executados os comandos com o indivduo em estado de viglia. Refere-se execuo, no tempo de ps-transe ou a algum tempo especificado, de sugestes dadas durante o transe.

Alterao de conscincia reflexiva: a maneira como a pessoa v a si mesma, em estado de viglia e em estado de hipnose.

A percepo da rea corporal fica notadamente alterada, assim como a identificao com a massa corprea alguns indivduos referem-se a si mesmos na terceira pessoa. Condensao da noo de tempo: Ao indivduo hipnotizado se parece ter transcorrido menos tempo do que passou. Zona A: Percepo Atravs desta zona captamos as imagens e sensaes que nos chegam do mundo exterior, por meio dos cinco sentidos.

Esta zona est situada na regio occipital. Zona B: No consciente atividade automtica a mente subjetiva. Esta zona est integrada pelo tlamo, e hipotlamo que so pequenas glndulas situadas abaixo do corpo caloso, de onde partem e para onde vo parar infinidades de ramificaes nervosas, destinadas s diversas reas cerebrais.

No seu interior est situado o centro da memria. Podemos dizer pois, que um grande armazm de experincias e vivncias compiladas ao longo de nossas vidas. No tlamo e hipotlamo se registram assim mesmo todos os nossos conhecimentos e, portanto, nossos impulsos bsicos, sensaes, instintos e hbitos. Tudo quanto sabemos e conhecemos da vida, fica registrado e arquivado em nosso subconsciente at o fim de nossa vida, pois nada se apaga nele.

O material recebido vai se acumulando e nada esquecido. O subconsciente governa o sistema nervoso simptico, que tem sua sede na espinha dorsal e desta forma controla os rgos e msculos involuntrios e suas diversas funes no organismo, tais como: corao, fgado, pulmes, rins, intestinos, glndulas, etc. Em ocasies de perigo assume um controle efetivo sobre os rgos vitais, como por exemplo, em um colapso, acidente, etc.

Assim, a pessoa pode permanecer em estado de coma profundo ou completamente anestesiado, ou ficarem imobilizadas em certas partes do corpo, apesar das quais, o organismo continua cumprindo as funes vitais, tais como respirar, etc. Seus movimentos so involuntrios e no dependem da conscincia. Zona C: Consciente - Mente Objetiva Localiza-se na zona frontal e faz parte do crtex e sub-crtex cerebral.

Sua funo a de ordenar, analisar e discernir toda a informao que recebe do subconsciente, e fazer com que se cumpram as ordens que l chegam. O consciente a mente objetiva, governa o sistema nervoso e tem sua base no crebro. Governa os msculos voluntrios e os sentidos paladar, tato, audio, viso e olfato. A memria do consciente imperfeita e nula, porque esquece e no armazena informaes.

Zona D: Pr-Motora a que recebe ordens do consciente e, ao estar conectada diretamente ao sistema motor, transmite as ordens ao sistema nervoso central, e este, por sua vez, aos diversos grupos musculares, para que, dessa forma, culmine no processo mental e a idia se converta em ao por meio do efeito ideomotor. Zona B1: Inconsciente uma pequena zona que estaria situada debaixo do subconsciente, na qual esto gravados todos os instintos primrios do indivduo sexo, perpetuao, defesa, etc.

Estas gravaes nunca chegam a ser conscientes com facilidade. O crebro est formado por clulas. A clula principal se chama neurnio.

Existem entre dez e doze bilhes de neurnios, que so considerados clulas nervosas, que esto localizadas no crtex cerebral a parte mais nova do crebro e existem configuraes no sub-crtex o interior. Um s de tais neurnios possui um nmero incalculvel de ramificaes. Para se ter uma idia podemos dizer que um s neurnio est relacionado com outros dez mil neurnios.

A conexo dos neurnios se chama sinapse. A sinapse se realiza atravs da liberao de substncias qumicas neurotransmissores e que vo gerando estmulos eltricos, chamadas de ondas cerebrais. As ondas cerebrais so de diferentes intensidades, que se medem em ciclos por segundo. Estas ondas, na atualidade so de cinco; das quais duas indicam estado de viglia e as outras trs um estado por debaixo da viglia, que vai desde um leve sono at o coma.

Para mudar uma resposta temos que reprogramar esta forma de unio desses neurnios. Isso se consegue modificando a intensidade das ondas cerebrais. Muitos medicamentos podem alterar o sistema neurotransmissor. Existem elementos eletrnicos como jogos de luzes e sons que chegam a mudar as ondas cerebrais. H tambm outras tcnicas mais naturais que acabam por modificarem tais ondas do crebro.

Ao mudar a intensidade se conseguem diferentes estados de conscincia. Entre esses estados esto os chamados estados alterados de conscincia, que so os que concentram o foco da ateno, deixando sensaes que vo do xtase contemplativo, at a excitao descontrolada. Segundo o investigador Hctor Gonzlez Ordi, professor de Psicologia Bsica da Universidade Complutense de Madri, temos a seguinte explicao tradicionalmente, tem se definido um estado alterado de conscincia como toda aquela experincia diferente viglia.

Mas esta curta definio j antiga. Muitas vezes, atingir um estado alterado de conscincia depende das expectativas que cada um tenha do fenmeno. E alguns estudos realizados com consumidores de drogas psicoativas reforam esta opinio.

Sabe-se, por exemplo, que possvel sugestionar uma pessoa para que experimente as sensaes subjetivas prprias do consumo de cannabis ou LSD, ainda que na realidade esteja tomando um simples placebo. Aqui est a chave do estudo dos estados alterados da conscincia. Existe muita informao segundo a qual as drogas, a hipnose ou a meditao levam o sujeito a mundos superiores mais criativos, mas a evidncia cientfica parece demonstrar o contrrio. No se tem achado variaes nos padres fisiolgicos prprios destas.

O que acontece na realidade nos casos de estados alterados de conscincia? Na realidade, se pode dizer que as excitaes que se produzem no sistema nervoso central causam um estado especial de percepo quando a estimulao sensorial externa diminui. Isso tambm acontece com o estado alterado de conscincia mais estudado: o sono, sempre que os estmulos do redor descem de intensidade rapidamente, as pessoas experimentam distores de percepo e alucinaes.

Esta reduo dos estmulos pode-se conseguir por meio de muitas tcnicas fisiolgicas, psicolgicas e farmacolgicas. H inmeros acontecimentos naturais e artificiais que podem modificar nossa experincia subjetiva. A mais famosa o consumo de drogas, mas os investigadores usam outros truques para conseguir estes efeitos to particulares.

Por exemplo, a atividade fsica tem uma conhecida repercusso sobre nosso estado consciente, j seja por defeito o relaxamento e a meditao , ou por excesso as danas rituais que acabam com um suposto estado de transe ou os atletas de maratona que perdem a percepo do redor quando superam um certo nvel de cansao. Tambm os estmulos externos tm resultados similares. Uma voz sugestiva, o som de um gongo, o movimento montono de objetos ou a msica podem nos transladar a um estado alterado de conscincia.

Por ltimo, h situaes clnicas que ocasionam alguns destes estados. Entre elas a hipoglicemia, a febre ou a m nutrio, que so, as vezes, indutores de alucinaes. Como podemos ver, no h nada de misterioso nestas manifestaes da mente sadia, simplesmente so modificaes de nosso estado de ateno.

O xamanismo, o transe religioso, as experincias prximas morte, as possesses e as vises msticas poderiam ser perfeitamente explicadas por estes mecanismos fsicos e psquicos. Segundo Gonzlez Ordi, um profissional da sade pode induzir um estado alterado da conscincia como terapia para certos transtornos, sobretudo para os relacionados com a ansiedade e o estresse. Mas muito perigoso pretender atingir ditos estados por meio de drogas ou com prticas de sugesto no controladas.

De fato no estranha a apario de certos episdios psicticos e transtornos mentais graves relacionados com estas prticas, como o xamanismo, que agora fazem furor nos crculos esotricos no abuso de ervas e chs alucingenos, que so usados com pretenses de encurtar o caminho para sabedoria e a expanso mental, e com curas, usando conhecimentos ancestrais.

Ao entrar nas ondas alfa, um pouco mais abaixo da viglia, entra-se num estado de conscincia alterado de meditao, contemplao e abstrao. Este estado segrega um hormnio chamado de acetilcolina, que produz uma sensao de relaxamento muscular.

Isto se v no tipo de auto-hipnose provocado nas religies orientais, como o Yoga. Quando se aumenta a intensidade de beta, que o estado de viglia no qual voc est agora, e as descargas eltricas se aceleram, passa as ondas gamma, um estado de conscincia alterado, que provoca excitao, descontrole, e enquanto em alfa o corpo pode estar relaxado e tranqilo, em gamma, o movimento. Este estado alterado faz que a mente segregue um outro hormnio chamado de adrenalina, que provoca uma sensao-reflexo de luta ou fuga.

Este fenmeno se v nas religies pentecostais e nos rituais afro. As duas ondas alfa e gamma, produzem uma dissociao temporria, que provoca inibio cortical seletiva, e a ateno desviada intencionalmente. Ento vemos que, quando samos da faixa de beta, tanto para cima gamma ou para abaixo alfa entramos num estado de conscincia alterada.

Sabe-se que a orao profunda, algumas danas do tipo dervixe o jejum prolongado, o orgasmo, certas drogas, jogos de luzes como nas danceterias, os aparelhos como os mega brain , a hipnose, a meditao transcendental, o yoga, etc. Os instrumentos de percusso, tambm alteram a conscincia, provocando uma inibio cortical muito importante.

Isto demonstrado durante as festas de carnaval, onde se pula, se dana, num estado que vai alm das foras fsicas, causando muitas vezes at a morte. Na guerra se usa o tambor para ir marcando o passo, levando os soldados a um estado de alterao, onde a ateno desviada diante da possibilidade do perigo. Os antigos barcos de remos, possuam um tambor que marcava o ritmo, conseguindo que os remadores fizessem seu trabalho sem sentir tanto o cansao, conseguindo tambm um estado de conscincia alterada.

Existem duas formas de chegar a um estado de transe hipntico: a trofotrpica, que uma maneira alimentadora, maternal e a ergotrfica, que mais autoritria, paternal. A primeira: tem efeito sedativo, acalma. A segunda: excita, levando s vezes a um estado de estupor. Em qualquer das duas maneiras se produzem modificaes fisiolgicas, como de respirao, alteraes cardacas, de presso arterial, alteraes hepticas e hormonais, aumento ou diminuio do umbral da dor analgesia ou hiperestesia , perturbaes musculares; e alteraes psicolgicas, tais como alucinaes e iluses sensoriais de tato, gosto, olfato, visual e auditiva.

Quando uma criana, se machuca, e chega chorando at sua me, esta simplesmente, a acaricia, fala suavemente e beija meigamente no lugar da leso, o suficiente para produzir a liberao de substncias, chamadas endorfinas, que alcanam um potencial analgsico muito superior ao da morfina.

Esta substncia est naturalmente em nosso crebro e liberada no estado de choque emocional. O toque carinhoso e o beijo mgico foram determinantes e a dor da criana desapareceu, por amor. Quando essa mesma criana, chega machucada, chorando at seu pai e este lhe acena com o dedo indicador, usando um tom de voz grave, dizendo, os homens no choram! O efeito final o mesmo, conseguindo chegar at a hipnose por dois caminhos bem diferentes: o do amor e o do temor. Em certos cultos ou ritos religiosos, se observarmos, vemos que se usam os dois mtodos, o autoritrio e o maternal.

O padre na sua igreja com o silncio, as luzes tnues e dirigidas, o som grave do rgo, e as pregaes com voz pausada e de ritmo modulado, est usando o mtodo maternal. Ao igual que o budista ou o iogui que entram em xtase pela contemplao intensa, ou concentrao exagerada que leva a uma hipnoseconseguindo um estado de meditao profunda.

Nestes dois casos se atinge a faixa das ondas alfa. Nos rituais afro-brasileiras se usa muito a percusso, os movimentos convulsivos do corpo, cenas fortes com sangue e animais. Isto produz um estado de excitao, provocando um transe similar, para no dizer igual, ao transe hipntico.

Em certos templos de modalidade evanglica, os pastores comeam suas oraes e pregaes com um ritmo montono, subindo de tom, falando permanentemente, bombardeando com palavras, exaltaes, para a platia, repetindo cada certo tempo reforando, palavras que servem de apoio, estimulam e excitam como a mgica aleluia.

Ao sentir-se cansado este pastor, outro o substitui, e o bombardeio continua.

De novo se produz a dissociao temporria, desvia-se a ateno e provoca-se uma inibio cortical. Novamente aparece o transe hipntico, onde foi usado o mtodo autoritrio ou paternal, atingindo em ambos casos a faixa das ondas gamma.

Isto explica a hipnose de massas, por contagio psquico. No devemos esquecer que no transe hipntico atingimos a parte noconsciente do crebro, esta zona simplesmente induz. A parte crtica do consciente, que quem deduz, est censurada, adormecida.

J veremos, no captulo seguinte, que esta censura se consegue com estmulos sensoriais e com sugestes. Mudanas fisiolgicas Dentre as mudanas fisiolgicas que se produzem em conseqncia do transe, figura geralmente uma baixa na pulsao, ocorrendo quedas mais ou menos acentuadas na preso arterial.

Ao iniciar-se o transe costuma haver uma vasoconstrio, e a esta segue-se uma vaso-dilatao, que se vai prorrogando at o momento de acordar. Equivale a dizer que no comeo a presso pode subir um pouco, mas, medida em que o transe se aprofunda, tende a cair.

Observa-se geralmentee uma mudana na temperatura perifrica. Aumento de calor na superfcie e frios nas extremidades das mos e dos ps. A pessoa bem hipnotizada caracteriza-se quase sempre pelas extremidades frias as mos geladas , conservando-as geralmente assim durante todo o transe.

No ser preciso acentuar que essas mudanas fisiolgicas durante a hipnose decorrem largamente as modificaes que se produzem no estado de esprito e no estado emocional do indivduo. As diferenas de reaes nesse particular obedecem a fatores muito sutis, que, dada a sua complexidade, podem escapar, inclusive, ao controle dos maiores peritos em matria de psicologia.

No oferece resistncia s sugestes, salvo quando estas contrariam seu cdigo moral. Produz catalepsia dos membros e do corpo, alucinaes motoras e cinestsicas. Aqui se consegue efeitos analgsicos e at anestsicos.

O sujet aceita sugestes as mais bizarras. Neste estgio pode-se mandar o paciente abrir os olhos sem afetar o transe. Ao abrir os olhos o paciente apresenta expresso fixa com pupilas visivelmente dilatadas.

A aparncia a de quem est imerso em sono profundo, porm reage s sugestes do hipnotista. A induo a este transe exige algumas sesses e cerca de 30 a 40 minutos de trabalho. Insuscentvel Ausncia de toda e qualquer reao Hipnoidal 1 Relaxamento fsico, 2 - Aparente sonolncia, 3 Tremor das plpebras, 4 Fechamento dos olhos, 5 Relaaxaamento mental e letargia mental parcial, 6 membros pesados.

Transe Ligeiro 7 Catalepsia ocular, 8 Catalepsia parcial dos membros, 9 Inibio de pequenos grupos musculares, 10 Respirao mais lenta e mais profunda, 11 Lassido acentuada pouca inclinao a se mover, falar, pensar, agir , 12 Contraes espasmdicas daa boca e do maxilar durante a induo, 13 Rappor ente hipnotizado e o hipnotista, 14 Sugestes ps-hipnticas simples, 15 contraes oculares ao despertar.

Transe Mdio 19 O hipnotizado reconhece estar no transe e sente, embora no o descreva, 20 inibio muscular completa, 21 Amnsia parcial, 22 Glove anestesia anestesia das mos , 23 Iluses sinestticas, 24 Iluses de gosto, 25 Alucinao olfativas, 26 Hiperacuidade das condies atmosfricas, 27 catalepsia geral dos membros e do corpo inteiro. Transe Profundo ou Sonamblico 28 O hipnotizado pode abrir os olhos sem afetar o transe, 29 olhar fixo, esgazeado e pupilas delatadas, 30 Sonambulismo, 31 Amnsia completa, 32 Amnsia ps-hipntica sistematizada, 33 Anestesia completa, 34 Anestesia ps-hipntica, 35 Sugestes ps-hipnticas bizarras, 36 Movimentos descontrolados do globo ocular, movimentos desordenados, 37 Sensaes de leveza, estar flutuando, inchanddo e alheamento, 38 Rigidez e inibies nos movimentos, 39 O desaparecimento e a aproximao da voz do hipnotista, 40 Controle das funes orgnicas, pulsao do corao, presso sanguinea, digesto etc.

Transe Pleno 50 Condies de estupor inibindo todas as atividades espontneas. Pode sugerir-se o sonambulismo para esse efeito. Dentro desse esquema tem de se levar em conta as variantes das reaes individuais. Assim, alguns dos sintomas do transe profundo podem apresentar-se em certas pessoas j no transe mdio e at mesmo no transe ligeiro, ou no apresentar-se de todo em outras pessoas.

Mas de um modo geral essa escala confere com os nveis acima indicados, salvo em casos nos quais os sintomas, que acabamos de indicar, se produzem por efeito de uma sugesto direta ou indiretamente veiculada pelo hipnotista.

Na psicodinmica da personalidade a lei da repetio representa uma das foras mais ponderveis. Cada comando a ser fixados deve ser repetido pelo menos trs vezes. Heidenhaim afirma que a hipnose resulta de um estmulo sensorial montono e suave. A monotonia da voz costuma superar, em matria de ao hipntica, a monotonia dos gestos e a monotonia do olhar ou da expresso fisionmica.

Com relao induo hipntica contamos com o fator monotonia sob as mais diversas manifestaes, no unicamente sob a forma mais especfica da repetio, da insistncia, da perseverana e da persuaso, o que bastaria para evocar a sntese emocional da experincia infantil, consubstanciada na crena do inevitvel, do irresistvel, do misterioso e do sinistro, sentimentos tradicionais e indissoluvelmente associados s teorias e s prticas do hipnotismo.

A monotonia hipntica se produz por vias sensoriais e por vias subjetivas, devendo haver uma sintonia perfeita entre a monotonia do paciente, do hipnotizador e do ambiente. A calma do hipnotizador, assim como a confiana que ele tem em si mesmo e no alcance de seus objetivos so tambm essenciais.

Para os clnicos tradicionais, os testes de sugestibilidade so vistos como um modo desejvel de avaliar se algum hipnotizvel e, nesse caso em que grau. Para Yapko, estes testes no indispensveis. Ao invs disso prefervel que o hipnotizador assuma a presena inevitvel de sugestibilidade por parte do paciente, entretanto para o hipnotizador que no compartilha desta perspectiva, ou para o hipnotizador que ainda no se sente bastante experiente para avaliar comunicaes para dinmica de sugestibilidade podem ser uma ferramenta muito til.

Testes de sugestibilidade em prtica clnica so feitos em mini encontros, onde so oferecidos blocos ritualizados de sugestes de relaxamento ao paciente, seguidos por uma sugesto para uma resposta especfica. Se o paciente responder da maneira sugerida, ele ou ela, passou no teste. Se o paciente no responder da maneira sugerida, ento ele falhou no teste. O objetivo principal dos testes de sugestibilidade determinar o grau de hipnotizabilidade do paciente. Porm, testes de sugestibilidade tambm podem servir para vrios propsitos: Primeiro, usando testes de sugestibilidade para medir responsabilidade hipntica, podem ser obtidas valiosas informaes considerando que a aproximao pode ser melhor para um paciente em particular.

Especificamente, a aproximao deveria ser direta ou indireta? Sugestes deveriam estar em uma forma positiva ou negativa? O comportamento do hipnotizador deveria ser comandante, autoritrio, ou calmo, permissivo? Muita nfase foi colocada na dinmica de relao entre o hipnoterapeuta e o paciente, e testes de sugestibilidade podem ser uma ferramenta til para o ajudar a descobrir o estilo que voc usar para um cliente particular.

Segundo: um segundo propsito do teste servir como uma experincia de condicionamento para entrar em hipnose. Terceiro: um outro propsito do teste de sugestibilidade pode ser na sua habilidade para usar o pr-trabalho.

Se os testes de sugestibilidade so introduzidos como preliminar para o que real trabalho teraputico seja feito, pode ser uma oportunidade para pegar o paciente fora da guarda e oferecer algumas sugestes teraputicas que podem ser menos sujeitas a anlise crtica do paciente Bates, So as questes de cronometrar quando na relao oferecido a resposta do terapeuta para a resposta do paciente, e o fechamento e transio para a prxima interao de fase.

As instrues dadas ao paciente sobre a maneira exata de executar o teste devem cercar-se de certo ritual e solenidade e acompanhadas de exemplo demonstrativo. Muitos pacientes so refratrios instruo verbal, porm propensos imitao. Digo: Faa ou Faam como eu estou fazendo. Assim: entrelaando firmemente os dedos. As mos, com os dedos. E continuo a instruo: Continue com as mos nesta posio. Quando eu pedir, inspire profundamente e prenda a respirao at eu terminar de contar at cinco.

Ao terminar a contagem, soltar a respirao, porm as mos continuaro presas e cada vez mais presas. No as conseguir soltar. Dada essa instruo, manda-se o paciente fechar os olhos, ou fixar os olhos nos do hipnotizador. Ato contnuo, mando respirar fundo e prender a respirao. Conto pausadamente at cinco. Se ao terminar a contagem o paciente no consegue separar as mos, no est selecionado, seno tambm profundamente sugestionado, quando no hipnotizado.

Havendo o paciente reagido mais ou menos ao teste das mos, passo ao teste da oscilao. Este teste oferece, como o anterior, ensejo para algum ritual e solenidade. O paciente solicitado a levantar e largar os objetos que porventura tenha nas mos. Recomenda-se em seguida, conforme o caso, no se apoiar na cadeira ou na pessoa que esteja ao lado. Feita essa recomendao, passo demonstrao, dizendo: A posio esta: os ps juntos.

Os braos cados ao longo do corpo. E relaxamento muscular. Fique de corpo mole. No em atitude, militar. Olhe para mim um instante. Pode fechar os olhos. No caso de utilizar-me de som digo: Quando a msica comear, voc vai sentir um balano O balano continua Voc continua a balanar, etc. Em lugar da msica pode-se recorrer a um outro condicionamento qualquer com a mesma probabilidade de xito. Pode-se dizer tambm: vou contar at cinco Antes de chegar aos cinco, voc sentir um balano O balano no considerado como um sintoma muito seguro de sugestibilidade.

O grau e o modo balano indicam com relativa margem de segurana a sugestibilidade. Para certificar-me da legitimidade da reao costumo bater inadvertidamente no ombro do paciente. Se o mesmo no se assustar e se o ombro no cede leve presso da minha mo, as probabilidades so mnimas.

Se, ao contrrio, o paciente apresenta uma reao de molejo alguns chegam a pular ndice de alta sugestibilidade. Uma variante deste teste: aquele em se colocam as mos sobre os ombros do paciente, o qual se mantm de olhos fechados. Ao aliviar a presso das mos e finalmente suprimir o contato fsico, o paciente, mesmo sem sugesto especfica, oscila, acompanhando as mos do operador, como se fora atrado por fora emanada do hipnotizador.

O paciente que reage satisfatoriamente a esta prova pode ser considerado hipnotizado. Sugere-se ao paciente o movimento do pendulo, acompanhando uma linha traada sobre a mesa.

Recomenda-se ao paciente no intervir voluntariamente no movimento do pndulo, limitando-se a segurar o barbante. Na maioria dos casos, o movimento sugerido comea por esboar-se na direo indicada. Voc comea a usar sugestes para a ampliao do movimento de vai e vem do pendulo. Quanto maior o grau de balano do pendulo, maior o grau de sugestibilidade.

Confirmando o efeito da sugesto, o terapeuta aproveita o ensejo para prosseguir, convencendo o paciente que, de acordo com a prova que acaba de dar, todos, ou pelo menos a maioria dos pensamentos, tendem a traduzir-se em realidade, bastando o paciente pensar com a devida vivacidade e intensidade. Ai o sujet j entra em induo. O sujet que reagem negativamente aos testes motores podem reagir positivamente aos testes sensoriais e vice-versa.

Os testes sensoriais destacam-se pela sua facilidade executiva e importncia prtica. O paciente fecha os olhos, e o terapeuta, a uma distancia de dois ou trs metros, abre um dos frascos, anunciando ao paciente a essncia que o mesmo contm. O paciente no pode negar o perfume anunciado, uma vez que o mesmo existe.

O terapeuta passa a anunciar a abertura do segundo frasco contendo outra essncia por ele especificada. Novamente o paciente tem de confirmar o cheiro. Do quarto frasco em diante, porm, a essncia ilusria, pois o contedo dos ltimos frascos no corresponde aos rtulos anunciados pelo hipnotista.

Contem gua. Pode-se simplificar esse exerccio olfativo, utilizando um simples carto de visita. Comenta-se: Quase imperceptvel! Realmente no h impregnao alguma. Passa-se em seguida o carto ao paciente, o qual, no desconfiando da cilada poder confirmar o cheiro. Entre eles o de mais fcil execuo o teste do dedo.

O operador coloca o indicador sobre o dorso da mo ou o pulso do paciente. Em seguida recomenda uma forte concentrao em relao rea que se encontra sob a presso do seu dedo. Pergunta ao paciente se no sente alguma sensao estranha, algum aumento de temperatura, uma espcie de corrente eltrica ou formigamento.

Respondendo afirmativamente, o paciente est selecionado. Os testes citados acima so mtodos denominados como mtodos sugestivos, no se baseando em nenhum expediente de cansao fsico ou sensorial. Note-se que nesses processos, o cansao fsico, com todas as suas caractersticas aparentes, ilusrio sendo sempre produto de sugesto. Observao importante: qualquer pessoa pode permanecer de olhos abertos, quer numa leitura, quer na contemplao de um objeto, horas seguidas, sem cair em transe e sem ressentir-se sensivelmente da fadiga visual.

A fadiga se produz em funo da f e da expectativa. O paciente espera, cr que vai e deve.

Apostila – Curso de Hipnose

E os sente, sem nenhuma necessidade especfica de demora. Respondem quase que instantaneamente. Suas plpebras esto ficando cada vez mais pesadas, sua vista cansada, comea a piscar, seus olhos, esto se fechando. Esto midos. Voc j no enxerga nitidamente. Seus olhos vo se fechando, fechando Fecharam-se; H pacientes que fecham os olhos e entram em transe quase que imediatamente. J com outros preciso repetir e insistir. Preste mais ateno nas minhas palavras.

Preste mais ateno. Mais concentrao. Pouco importa o tipo de gesto que se esboa. Entre outros, dois dedos em V. Pedimos ao paciente que fixe os olhos nos dedos. E incitando-o ao mesmo tempo a concentrar-se intensamente na idia do sono; Repetimos: As suas plpebras esto pesadas. Esto se fechando. J no consegue abrir os olhos. Seus braos esto ficando pesados. Suas pernas j no sentem o corpo.

Suas mos esto imveis. Vai dormir. Em muitos casos esta ordem tem ao decisiva, e resolve o problema. O paciente fecha imediatamente os olhos e dorme.

Pelo menos se sente influenciado pela hipnose. Assim que se possa notar que uma das sugestes est sendo aceita aproveita-se para formular a seguinte; Pede-se ao paciente que faa um sinal qualquer: movimento afirmativo ou negativo com a cabea, levantar o polegar direito para cima ou para baixo, conforme a resposta seja positiva ou negativa.

Cada sugesto a que o paciente responde afirmativamente considerada uma conquista e preciso aproveit-la para outras consecutivas, dizendo ao paciente: est vendo como funciona bem! Como est correspondendo! Seu sono est se aprofundando realmente.

Seus braos cada vez mais pesados. J no consegue baixar os braos, etc. Quanto mais se esfora para baixar o brao, mais o seu brao vai levantando. Vou fazer agora com que seu brao seja atrado pela sua prpria cabea, como se a cabea fosse um im. Este mtodo pode ser considerado Standard.

DE BAIXAR APOSTILA HIPNOSE

Trata-se de sugestes que atuam largamente, em virtude de seu carter antecipatrio e confirmativo. Pois as sugestes que se vo sugerindo ao paciente parecem corresponder s reaes inerentes ao prprio estado de hipnose. O paciente comea por sentir-se cansado. Suas plpebras comeam a fechar. Manifestam-se freqentemente, tremores nas plpebras e contraes espasmdicas nas mos e nos cantos da boca. Observou-se que a hipnose afeta mais rapidamente a vista e os msculos oculares.

Mesmo estando o paciente de olhos fechados, o terapeuta ainda pode observar o movimento desordenado dos globos oculares, debaixo das plpebras, movendo-se em todos os sentidos, preferencialmente para cima.

Dirigindo-se ao paciente diz: Sente-se na cadeira da maneira mais cmoda possvel; Agora solte o corpo; Fixe esse ponto h um ponto qualquer para esse fim, situado de modo a forar um pouco a vista do paciente para o alto ; Enquanto seus olhos fixam esse ponto voc fica ainda mais descansado.

Afrouxe os msculos rapidamente Recomenda-se esperar dez minutos, com o relgio na mo. Suas pernas j esto ficando pesadas. Esperar dez segundos. Muito pesadas. Seu corpo est se tornando pesado. Muito pesado. Suas pernas pesadas. Todo o seu corpo pesado. Est descansando comodamente, profundamente. Seus msculos continuam a afrouxar-se cada vez mais Seus msculos esto de tal forma relaxados que agora sente tambm as plpebras pesadas. Muito cansadas Muito cansadas.

Voc j est querendo fechar os olhos Voc est querendo fechar os olhos. Ao fechar os olhos sentir um extraordinrio bem estar. Entrar num repouso profundo. Seus msculos esto num estado de perfeito relaxamento; Se os olhos do paciente se fecharem, omite-se a seguinte sugesto.

Caso contrrio, continua-se dizendo: Seus olhos esto se sentindo cada vez mais cansados Esto fechando Fechando; Repete-se isso quatro ou cinco vezes. Se os olhos no se fecharem, d-se a ordem: feche os olhos, por favor; Se os olhos do paciente apresentarem um aspecto vtreo, isso significa que ele est em transe.

Neste caso o terapeuta fecha os olhos do paciente com a sua prpria mo. Agora voc esta descansando profundamente; voc esta se sentindo maravilhosamente bem; sua mente no abriga nenhum pensamento.

Enquanto eu falo voc vai entrando num sono profundo. Voc ouve a minha voz como se. Muito longe. Sua respirao est se tornando mais lenta, mais profunda. Seus msculos esto relaxando cada vez mais. Voc comea a sentir um formigamento, uma dormncia. Inicialmente na nuca e depois envolvendo levemente o corpo todo, da nuca para baixo. Voc no sente mais nada.

Nem a cadeira em que est sentado. Continue a afrouxar os msculos cada vez mais Nada o incomoda. J no quer acordar. Est descansando, afrouxando os msculos cada vez mais. Seu sono continua agradvel e profundo. Nada o aborrece. J no h rudo capaz de despert-lo. Voc est totalmente surdo. S ouve a minha voz. S obedece a mim. S eu posso acord-lo.

Durma profundamente. Mtodo particularmente subjetivo e de grande efeito simblico, que foge um tanto da linha ortodoxa dos mtodos anteriormente citados. Muito dificilmente falha. Eis o mtodo: Estando o paciente bem acomodado na cadeira, obedecidas as instrues quanto maneira de sentar e colocar as mos sobre os joelhos e recostar a cabea, com todos os msculos bem relaxados, ordeno: Feche os olhos; Em seguida inicia-se com um apelo sua prpria capacidade de concentrao, apelo esse que facilmente obedecido por ter um carter lisonjeiro s suas pretenses de homem de esprito forte; Digo ento: voc vai agora usar de toda sua capacidade de concentrao no que lhe vou sugerir.

O paciente ainda no sabe o que lhe vou sugerir, e isso lhe prende a ateno e aumenta a expectativa, dois aliados indispensveis induo hipntica; Aps uma pausa dizer: Uma estrela solitria no cu A situao descrita acima conhecida na hipnose como Ab-Reao. Isto pode variar desde soluos pequenos at gritar e se debater. Muitas vezes, as pessoas vo guardar fortes emoes de tristeza, pnico ou raiva e, quando em transe, elas podem acabar liberando estas emoes.

Quando isso acontecer, mantenha a calma, evite encostar na pessoa e calmamente diga esta frase: A cena desaparece, e voc se concentra na sua respirao. Continue repetindo at que o sujeito se acalme e a reao desaparea. No pergunte o que est errado ou tente fazer qualquer terapia durante uma ab-reao. Apenas fale a frase descrita acima e espere a ab-reao passar, observando para no tocar no sujeito, uma vez que pode-se instalar ncoras de acesso ab-reao. Ressaca hipntica Algumas vezes, ao emergir uma pessoa do transe, ela pode queixar-se de uma sensao de confuso, estar distanciada, ainda hipnotizada ou, at mesmo, de dor de cabea e nuseas.

Isso conhecido como ressaca hipntica e fcil de corrigir. Basta dizer ao sujeito para fechar os olhos e, em seguida, contar de 1 at 5 lentamente, dando sugestes para se sentir muito bem, muito saudvel e muito alerta. Caso persista, repita o processo, fazendo uma contagem de 1 at 10, enfatizando sugestes de bem-estar, sentimentos bons e saudveis. A hipnose um estado muito relaxante. Ocasionalmente, um sujeito pode querer permanecer nesse estado, no emergindo ao comando simples de retornar.

H um processo de 3 passos para retornar uma pessoa que no conseguiu emergir quando foi instrudo:. Diga ao sujeito que agora a hora de retornar. Dessa vez, com mais autoridade; 2. Caso no d certo, pergunte se ele pode ouvir voc e pea para ele sinalizar com o dedo.

Caso ele sinalize, pergunte o motivo de ele no ter retornado. Se nenhuma das anteriores funcionar, provavelmente o sujeito entrou num estado que se chama de Estado Esdaile, ou coma hipntico. Neste caso, deve-se fazer o que se chama de negociao. A negociao feita a partir do seguinte script: Eu sei que voc gosta muito deste estado de relaxamento.

Mas, se voc no voltar agora, voc nunca mais vai conseguir voltar para este estado. Agora, eu vou contar de 1 at 5, e no 5 voc vai voltar, se sentindo muito bem, muito realizado. E, inicie a contagem. A cada nmero que for dito, d sugestes para o sujeito despertar, se sentindo cada vez melhor.

Estado Esdaile ou Coma Hipntico - Estado Esdaile uma falha na hora de emergir o sujeito, o qual no responde ao comando do hipnotista, caracterizado pela catalepsia geral, anestesia completa e ausncia de resposta a comandos falados. Induo instantnea - A induo super-rpida, que leva menos de alguns segundos e feito sem aviso prvio, como uma espcie de choque.

A Pessoa mais Inteligente do mundo A partir de agora, voc a pessoa mais inteligente do mundo. Voc pode responder qualquer pergunta que fizerem pra voc. Alien Voc um alien de outro planeta, mas voc aprendeu portugus ou, tambm, voc s fala a lngua do seu planeta, e entende o portugus.

Amarrando os sapatos Diga aos sujeitos que eles no podem amarrar os sapatos, no importa o quanto eles tentem. Banda Marcial Afirme que todos esto numa banda marcial. Bocejar Na contagem de trs a todos vocs vo comear a bocejar. Vocs no sero capazes de parar de bocejar at que voc veja algum na plateia bocejar. Quando voc vir algum bocejando na plateia, ento voc vai dormir. Boneco de neve Na contagem de trs vamos todos levantar-se e comear a fazer um boneco de neve.

Brao flutuando Seu brao direito agora est flutuando no ar. Enquanto voc empurra seu brao direito para baixo, o brao esquerdo flutua para cima.

Brao rgido Estenda seu brao direito sua frente. O brao est ficando to rgido que no poder se dobrar. Brincando Na contagem de trs vamos todos levantar-se e brincar de ciranda cirandinha. Brincando de uni-duni-t Voc vai comear a brincar de uni-duni-t com a pessoa sentado ao seu lado, mais rpido, mais rpido, mais rpido. Cantando Voc est se preparando para um show.

Voc um artista de sucesso e vai cantar sua msica preferida quando abrirem as cortinas. Prepare-se, as cortinas comearam a se abrir. Quando elas estiverem complemente abertas, voc comea a cantar.

Um, dois, trs, elas se abriram! Cheiro Ruim Diga aos envolvidos que eles iro comear a sentir um cheiro ruim vindo das pessoas sentadas prximas a eles. Chiclete no sapato Diga aos envolvidos que eles tm chiclete em seus sapatos e que eles devem tentar tir-lo. Enquanto eles tocam seus sapatos, voc dir que o chiclete grudou em seus dedos, mos, em seus cabelos e assim por diante.

Chovendo Diga que est comeando a chover, e que todo mundo est ficando encharcado. Chovendo Dinheiro Diga os sujeitos que ele est comeando a chover dinheiro, e que eles podem manter parte do dinheiro que eles pegarem. Coceira no corpo Na contagem 3 alguma parte do seu corpo comear a coar. Voc precisar co-la. Colorindo Vocs so crianas colorindo em seus livros de colorir.

Na contagem de 3, a pessoa ao lado pintou seu livro. Um, Dois, Trs Comendo - Deixe que os envolvidos imaginem-se comendo vrios tipos de comida, bem como melancia, sorvete, espiga de milho. Converse na linguagem da Lua Diga os assuntos que eles pousaram na Lua e agora eles vo comear a falar em linguagem da lua.

Corda bamba Agora voc est caminhando na corda bamba. Do tipo que vemos em um circo. Corrida Com os participantes sentados em cadeiras, diga que eles so pilotos profissionais e que agora estaro dirigindo em uma corrida. Corrida de cavalos D a cada um dos participantes um nmero. Agora, deixe que eles vejam uma corrida de cavalos que possuam nmeros que correspondam aos deles. Diga- lhes que ser uma corrida. Certifique-se de que eles saibam que permitido torcer.

DE HIPNOSE BAIXAR APOSTILA

Cupido Voc o cupido e estaro procurando por algum para atirar suas flechas de amor. Desenhando Em um momento eu darei a cada uma de vocs, crianas, um pedao de papel e um marcador. Todos vocs desenharo para mim uma bela foto. Desenho Diga aos envolvidos que eles viraram personagens de desenhos animados. Agora voc entrevistar alguns deles.

Enfermeira Voc uma enfermeira que precisa dar uma injeo nas pessoas da primeira fileira. Voc no receber um no como resposta. Escudo invisvel Diga aos participantes do sexo oposto que eles esto apaixonados por voc. Diga-lhes que eles querem te abraar, mas h um escudo invisvel ao redor do seu corpo e eles no podem alcana-lo.

Esquea: Adio Voc no sabe somar. Toda vez que voc tentar somar voc perceber que a resposta Esquea: Alfabeto Voc no consegue se lembrar do alfabeto. Esquea: Aniversrio Voc pode no lembrar do seu aniversrio. Voc no lembrar da data. Esquea: Carro Voc no se lembrar mais de qualquer coisa sobre seu carro. Voc no se recorda do tipo, cor, ano ou estilo.

Esquea: Endereo Voc no consegue se lembrar do seu endereo. Voc consegue se lembrar de como sua casa , mas no lembrar da rua ou do nmero. Esquea: Esportes Voc no se lembrar nada sobre esportes. Voc no ter ideia de como um jogo jogado. Esquea: Idade Voc no se lembra da sua idade. Voc no faz ideia. A nica coisa que voc tem certeza que no tem anos de idade. Esquea: Nome do cnjuge Voc no mais se lembrar do nome do seu cnjuge.

Voc sabe que casado, mas no consegue se lembrar o nome. Esquea: Nmeros Voc no ser capaz de se lembrar do nmero entre o 5 e o 7. O nmero entre 5 e 7 se foi. Quero que conte, em voz alta, em seus dedos cada um. Esquea: Pas Voc no se lembrar do pas que voc. Voc pode se lembrar de diferentes pases, mas nenhum soar familiar. Esquea: Piada Na contagem 3 voc pensar em uma piada engraada que gostaria de me contar. Quando eu pedir que voc me conte voc se esquecer totalmente do final.

Esquea: Presidente Voc no se lembrar de quem o presidente. Toda vez que voc pensar, voc pensar em um personagem de desenho. Esquea: Telefone Voc no pode se lembrar do seu telefone. Voc pode se lembrar do primeiro e do ltimo nmero, mas ser incapaz de se lembrar dos demais.

Esquea: O que est fazendo Voc no ser capaz de se recordar do que est fazendo. Quando eu perguntar sobre isso, voc no ter a mnima ideia do que est fazendo. Esquea: ltimo banho impossvel para voc se recordar da ltima vez em que tomou um banho ou uma ducha. Estatua Na contagem de trs voc vai se levantar e comear a danar. Quando eu digo a palavra estatua voc vai parar sem mover um msculo. Prmio de fantasia Voc ganhou o prmio de melhor fantasia em uma festa a fantasia. Me fale sobre sua fantasia.

Hipnlogo falso Quando eu disser a palavra "Bom", voc ficar em p e dir que o hipnlogo falso e no acredita em hipnose. Induo mental Na contagem 3 voc estar acordado e abrir os olhos. Eu ento hipnotizarei voc com o meu pensamento. Eu irei ao canto do palco e pensarei na palavra 'dormir'. Todos vocs 'pegaro' meu pensamento e entraro em um transe ainda mais profundo. Inspetor de cotovelos - Voc o inspetor de cotovelos mais famoso do mundo.

Voc andar pelo espao e inspecionar o cotovelo das pessoas. Tenha certeza de que eles dobrem corretamente. Loteria Diga a todos os envolvidos que a prxima vez que eles ouvirem o nmero 34, eles sabero que ganharam dez milhes na loteria.

Mos estranhas Na contagem de trs todos os homens no palco vai notar que eles esto utilizando esmalte vermelho. As mulheres vo tentar no rir, mas quando elas riem eles vo perceber que suas mos esto ficando muito peludas. Miss Brasil Voc foi coroada miss brasil. Voc andar pelo palco mandando beijos para a plateia.

Apostila hipnose na ordem

Multa de velocidade Voc acaba de ser parado pela polcia por dirigir a km em uma via de 60 km. Prepare-se para dar uma boa desculpa. Msica em um sapato Diga aos participantes que eles comearo a ouvir sua msica preferida. Enquanto eles comeam a responder msica, avise-os que a msica est vindo de seus sapatos. Natal Na contagem 3 ser manh de natal.

Vocs todos so crianas e esto surpresos com o que ganharam. Neve Agora voc percebe que est esfriando e comea a nevar. Voc pode ver a neve e toca-la. Permitir que o sujeito olhe a audincia. Parte favorita crescendo Avise aos envolvidos que suas partes favoritas agora esto ficando maiores e maiores. Certifique-se de devolv-las ao tamanho normal. Parte favorita encolhendo Informe os envolvidos que suas partes preferidas do corpo esto encolhendo.

Menor e menor. Pelos no corpo Diga aos envolvidos que seus corpos esto ficando inteiramente cobertos por pelos. Pescando Na contagem 3 vocs todos estaro pescando.

Todos nus Diga aos envolvidos que eles olharo para o pblico e notaro que todos esto nus. Colado: Cadeira Diga a um dos sujeitos que voc vai envi-lo de volta para o seu lugar na plateia, mas no importa o quanto ele tente se levantar, ele estar colado na cadeira.

Colado: Dedo Voc vai colocar o seu dedo indicador em seu ouvido e achar que ele ficou preso l. Voc no pode puxar o dedo do seu ouvido. A nica maneira de tirar o seu dedo indicador de sua orelha colocar o seu outro dedo indicador no nariz. Agora voc pode remover o dedo indicador de sua orelha, mas o dedo em seu nariz est agora colado. Rasgar o papel D um pedao de papel para os envolvidos e diga-lhes que eles sero incapazes de rasgar o papel. Rindo em um filme engraado Diga aos participantes que eles vero um filme engraado que causar um ataque de riso e eles riro muito alto.

Show de talentos Agora vamos ter um show de talentos e ver quem vai ganhar uma grande surpresa. Na contagem de trs que voc estar pronto para cantar, danar, recitar um poema, ou contar uma piada. Super-homem Voc o super-homem.

Voc vai continuar a tentar voar, mas ter problemas para sair do cho. Surfe Na contagem de trs todos vocs vo ficar de p.

Voc vai surfar em uma onda grande. Tocando um instrumento Aconselhe todos os sujeitos que eles so msicos e eles vo comear a tocar um instrumento. Tornando-se uma celebridade Diga ao grupo que eles so celebridades famosas. Voc pode pedir para que eles se apresentem ou realizem uma entrevista com alguns selecionados. Umbigo perdido Na contagem 3 voc notar que algum roubou seu umbigo. Voando para a Lua Diga aos envolvidos que eles esto em um foguete indo para a lua.

Diga-lhes para olharem para fora da janela e descreverem o que eles veem. A hipnose muito mais comum do que se imagina. Voc j deve ter entrado em estado hipntico milhares de vezes e nem percebeu. Por exemplo: sabe quando voc est indo para algum lugar, e, de repente, ao chegar no seu destino, no se lembra do caminho que fez?

Essa uma forma de hipnose. Isso um mecanismo que faz parte do funcionamento normal do crebro. De acordo com Jlio Rocha do Amaral, MD e Jorge Martins de Oliveira, MD, PhD, o nosso crebro est basicamente dividido em trs partes: arquiplio ou crebro primitivo responsvel pela autopreservao, mecanismos de agresso e comportamento repetitivo; paleoplio ou crebro intermedirio responsvel pelas emoes e funes afetivas e o neoplio, tambm chamado de crebro superior ou racional, formado pelo neocrtex.

O neocrtex a parte mais recente e mais complexa do crebro humano. Ele responsvel por especficas habilidades cognitivas como a memria, a fala e a linguagem, entre outras, que nos permitem aprender e raciocinar. Essa estrutura permite aos seres humanos um estado que no encontrado nos animais: a mente.

Em seu livro Histria da Filosofia, Wilhelm Dilthey descreve a mente como o estado da conscincia ou subconscincia que possibilita a expresso da natureza humana HEMUS, A grosso modo, pode-se dizer que a mente dividida em trs unidades O consciente, o inconsciente e, um conceito mais recente, o subconsciente. O inconsciente est ligado ao crebro mais primitivo, responsvel pela autopreservao.

O consciente responsvel pelo processo analtico, pela racionalizao e pela memria de curto prazo. O subconsciente responsvel pela memria de longo prazo, pelas emoes e pelos hbitos. Essa parte no capaz de analisar criticamente. Sua funo apenas guardar determinada informao. O que separa estas duas mentes chamado de fator crtico.

O fator crtico uma espcie de barreira que protege o subconsciente do acesso externo, uma vez que toda informao que entra nessa regio tida como verdade absoluta, pois no h um nvel crtico.

BAIXAR APOSTILA DE HIPNOSE

Quando, por algum motivo, o fator crtico abre uma brecha entre o consciente e o subconsciente, o processo da hipnose acontece. Este processo pode acontecer naturalmente, como o exemplo citado no incio do artigo, ou pode ser induzido por determinado evento ou mesmo por algum.

Neste caso, pode-se dizer que a pessoa entrou em um estado hipntico por induo, como as que acontecem na hipnose de rua e na hipnoterapia. A hipnose uma poderosa ferramenta, que j vem embutida no crebro, podendo ser usada de maneira positiva. O pior que pode acontecer ela no funcionar com voc. Nas palavras do neurologista Leandro Teles: A hipnose um fenmeno real e quantificvel De acordo com Tomasz Witkowski, trata-se da aplicao de mtodos de gerao de novos ou melhorados comportamentos.

Programar a mente atravs do uso da linguagem tem como base um conjunto de modelos, estratgias e mudanas de crenas. A fonte que embasa tais tcnicas, chamada de "modelagem", e envolve a reproduo cuidadosa dos comportamentos e crenas daqueles que atingiram o "sucesso". As prticas de PNL, com os exerccios de mudana, visam alinhar o pensamento lgico e o intuitivo, a deduo e a induo, conectando toda a motivao e emoo que podem estar dispersas no indivduo, para ficarem servio de suas decises.

A PNL utiliza tcnicas que poderamos chamar de meditativas e hipnticas para estabelecer o que chama de "estados focalizados" e assim fazer com que a pessoa utilize o seu pensamento da melhor maneira possvel.

Por isso, muitos dos exerccios recorrem a "estados alterados de conscincia", ou estados de transe. Richard Bandler acredita que, para se tirar uma pessoa da automaticidade, basta quebrar o padro de determinada situao cotidiana e a mente vai sofrer uma pequena reprogramao. Este processo demanda um tempo muito curto, mas o suficiente para deixar a pessoa em um estado de alterao de conscincia. Existem algumas pressuposies da PNL que podem ser aplicadas ao contexto da hipnose.

De acordo com Joseph O'Connor, em Manual de programao neurolingustica - PNL: um guia prtico para alcanar os resultados que voc quer, so elas:. As pessoas respondem sua interpretao da realidade, no realidade em si. Todas as aes tm um propsito. A mente inconsciente contrabalana a consciente; ela no maliciosa. J temos todos os recursos de que necessitamos ou ento podemos cri-los.

Mente e corpo formam um sistema. So expresses diferentes da mesma pessoa. Processamos todas as informaes atravs de nossos sentidos. Todas as pressuposies supracitadas podem ser utilizadas durante o estado hipntico para que aja um aumento na aceitao das sugestes de mudanas de comportamento ou, at mesmo, de crenas.

Portanto, a utilizao da hipnose tem a capacidade de modelar uma pessoa mentalmente, bem como a Programao Neurolingustica, pois a mente interpreta informaes que fazem sentindo como sendo verdadeiras, podendo at tomar o lugar de outras informaes preexistentes. Leia de graça por 30 dias.

Crescimento pessoal Psicologia. Títulos relacionados. Anterior no carrossel Próximo no carrossel. Pesquisar no documento. So sintomas identificados na fase I: 1. So sintomas identificados na fase: 1. So sintomas identificados na fase III: 1. Aps o transe, amnsia provocada para esquecer pessoas, coisas ou fatos Fase IV Transe sonamblico Das pessoas se enquadram nesta fase, ainda que reaja com maior ou menor presteza s sugestes, a aparncia do hipnotizado a de quem est submerso num sono profundo.

So sintomas identificados na fase IV: 1. Convulses mesmricas; repetidos espasmos musculares que vo se acentuando interessante lembrar que esses fenmenos no necessariamente acontecem com todas as pessoas. Roteiro: Imagine que h uma janela bem acima da sua cabea.

Qualidades vocais: iguale a tonalidade, volume, ritmo, velocidade e etc. Alm dessas afirmativas de observao, pode-se inferir outras mais complexas, como as que so apresentadas a seguir: Voc j se imaginou num emprego melhor, certo? Como por exemplo: Junte seus ps; De um passo para frente; Estique os braos. Agora, abaixe o esquerdo; Quando o sujeito responde a estes pequenos comandos, a probabilidade de ele responder aos prximos aumenta consideravelmente. A seguir, sero apresentadas algumas rotinas de pseudo-hipnose: Dedos Magnticos Por causa da anatomia das mos, boa parte das pessoas vo sentir um leve desconforto em deixar somente os dedos indicadores separados, enquanto todos os outros dedos esto entrelaados.

A seguir, um exemplo de rotina para Dedos Magnticos: Junte seus ps. A seguir, um exemplo de rotina para Mos Coladas: Junte seus ps. A cola seca cada vez mais, e esses dedos vo ficando ainda mais colados. Quanto mais o brao estica, mais colado fica. A seguir, um exemplo de rotina de Mos Magnticas: Junte bem os ps, estique os braos na altura do ombro e as palmas das mos de frente uma para outra. Agora, inspire profundamente, segure o ar e feche seus olhos.

Jos Carlos Oliveira, psicoterapeuta e autor dos livros " Possvel, Eu sou Capaz" e "O Semeador de Metforas", a cincia vem estudando intensivamente o uso da Hipnose em diversas reas, e concluiu e comprovou que esta ferramenta pode ser utilizada para: diminuir e neutralizar a dor fsica inclusive em partos ; diminuir e tratar a depresso; diminuir e tratar a ansiedade; diminuir e tratar traumas, medos e fobias; melhorar a autoestima; melhorar sua concentrao; remover distrbios emocionais; melhorar as noites de sono; ajudar voc a emagrecer mais rpido do que o normal ; diminuir e remover o estresse; diminuir e remover frustraes; tratar vcios com drogas, lcool, cigarros etc.

Quando uma pessoa est sob influncia da confuso mental e no sabe o que fazer, existem dois comportamentos possveis: 1. A seguir, um exemplo de como conduzir essa induo: Voc poderia me dizer onde fica a padaria mais prxima? O falso aperto de mo de Dave Elman Olhe fixamente para os olhos do sujeito e diga: Enquanto voc olha para meus olhos, vou apertar sua mo trs vezes. Mantenha os olhos fixos nos olhos do sujeito, aperte a sua mo e diga: Um Aguarde uns 2 segundos, fixe novamente o olhar nos olhos do sujeito, aperte novamente sua mo e diga: Dois Seus olhos esto ainda mais cansados No momento em que o sujeito comear a piscar, acompanhe-o e conduza: Isso, muito bem Aguarde uns 2 segundos, aperte a mo do sujeito novamente e diga: Trs No momento exato em que o sujeito estabelecer o contato com seus olhos, diga de forma autoritria: DURMA!

Concentre-se apenas nesse ponto. Aponte um ponto especfico na mo do sujeito e continue. Esse movimento auxilia o sujeito a perder o foco cada vez mais E vai relaxando mais e mais, se sentindo muito bem Quando perceber que a pessoa est pressionando diga: "Pressione mais forte, voc tem fora para isso. Isso mais forte Mais forte". D cerca de um minuto ao sujeito.

No final do perodo, diga: Isso mesmo Cada espirao suave te aprofunda mais e mais. OK, um, dois, trs, deixe seus olhos se abrirem, Toque a testa do sujeito. Durma mais profundo. Faa isso trs vezes, em seguida, faa um teste disfarado. Um, dois, dois e meio Deixe que seus olhos se abram. Toque a testa do sujeito novamente. Durma mais profundamente.

Portanto, isto ser muito til e vai at utilizar esses rudos externos e outras distraes a seu favor na hora de hipnotizar algum: Escute apenas o som da minha voz e isso pode sempre te ajudar a ficar cada vez mais e mais relaxado a. A instalao do signo-sinal bem simples. Aps o aprofundamento, diga ao sujeito: Toda vez que eu estalar os dedos e disser a palavra durma, voc volta para este estado de relaxamento profundo. Um - Lentamente, de forma fcil e suave, sinta-se retornando sua ateno plena.

Dois - A maravilhosa sensao de relaxamento e bem-estar vem atravs do cho para o seu corpo. Cinco - Olhos abertos. Respire fundo, se alongue e veja como se sente bem. Como voc se sente?

Caso voc perceba que nada est funcionando, sugiro dizer um pequeno texto: Agora feche os olhos e, eu vou contar at 3. Escolha outro espectador, dispensando-o com muita educao.

A seguir, vou apresentar uma lista do que eu acho importante no fazer durante a hipnose: Alguns hipnotistas colam as pessoas na rua e oferecem dinheiro para testar a capacidade de elas descolarem os ps do cho. H um processo de 3 passos para retornar uma pessoa que no conseguiu emergir quando foi instrudo: 1.